Infusórios (microscópicos protozoários aquáticos)

Utilização:

Alimentação de alevins recém-nascidos.

Criação:

Começando com uma cultura de água verde, junte, ao recipiente de cultura, matéria vegetal, como folhas de alface, de espinafre, etc. Bons resultados têm sido atingidos com vegetais cozidos que parecem desfazerem-se melhor. Quando os vegetais começarem a decompor-se as bactérias aparecerão inicialmente mas então os protozoários irão rapidamente aumentar de número dado que se alimentam de bactérias.

Atenção, culturas novas contêm principalmente bactérias, não infusórios. Se a cultura de infusórios for vigorosamente oxigenada (com um difusor e uma bomba de ar), o odor será minimizado. Se o aquariofilista pretende manter a cultura por um extenso período então a cada 3 ou 4 dias deve aspirar a matéria orgânica já “expirada” que assenta no fundo e então substituí-la por novo substrato de cultura. O tamanho ótimo da cultura depende de quantos infusórios são necessários. Um de nós (DW) utiliza um aquário de 50 litros que rapidamente pode produzir quantidades prodigiosas de infusórios.

Uma forma eficiente de concentrar a cultura antes de a usar é desligar a bomba de ar e colocar um pequeno projetor do lado de fora do recipiente. Dentro de 15 minutos os infusórios começarão a formar nuvens á volta da luz ou poderão formar uma distinta camada leitosa na água, freqüentemente mesmo abaixo da superfície. Podem ser visíveis minúsculos pedacinhos prateados de pó movendo-se determinadamente pela água. As concentrações de infusórios podem ser retiradas com um sifão e colocadas no aquário dos alevins.

Fontes: Água velha de aquário (especialmente do filtro), amigos, encomendas por correio.